Fatos em imagens

Naturalmente, a erva-mate se desenvolve em estágios mais avançados da Floresta de Araucária, instalando-se quando já existe sombra para seu crescimento. Seus frutos são muito apreciados pelas aves em geral, fazendo dela uma importante fonte de alimento para a fauna nativa, que também contribui para a dispersão da espécie na paisagem.

Além de alimentar aves com seus frutos, e seres humanos, com suas folhas processadas, a erva-mate é importante referência para várias outras espécies animais, como insetos, por exemplo. Muitos destes insetos ajudam a erva-mate a ser polinizada e gerar sementes que, digeridas e dispersadas pelos pássaros, representam o início de novas florestas dia após dia.

Nesta sessão do nosso site, proporcionamos aos interessados nas dinâmicas e associações naturais da erva-mate, uma pequena galeria com fotografias que mostram alguns estágios de evolução e amadurecimento desta planta e também as interações da planta com animais dentro das Florestas com Araucárias, habitat natural da erva-mate.

Ilex paraguariensis e sua biologia: flores e frutos

As imagens que seguem, buscam representar as estruturas naturais da erva-mate para sua polinização e reprodução da espécie, portanto, abaixo apresentamos fotografias descrevendo as flores, frutos e estágios do amadurecimento e do ciclo de vida de uma árvore de erva-mate

 
Brotação de primavera da erva-mate, detalhe para os botões florais na fotografia tirada em outubro de 2017
Flores femininas da erva-mate sendo polinizadas por abelhas
 
Flores masculinas da erva-mate
Frutos da erva-mate ainda jovens, antes do amadurecimento
Frutos da erva-mate em amadurecimento

Agentes polinizadores da erva-mate

Insetos são os grandes responsáveis pela polinização das flores de erva-mate, assim, podem ser tidos como os grandes reprodutores desta espécie de árvore. Abaixo, algumas imagens mostram que vários insetos voadores frequentam as flores da Ilex paraguariensis dentro dos sistemas tradicionais de erva-mate sombreada: 

 
Vespas usualmente visitam as flores da erva-mate
Assim como as varejeiras, moscas comuns também são frequentadoras assíduas das flores da erva-mate
 
Moscas varejeiras também se alimentam do néctar das flores da erva-mate
Abelhas podem produzir até mesmo mel a partir da flor da erva-mate

Pássaros, os dispersores das sementes 

Diversas espécies de aves frequentam as Florestas com Araucária e se alimentam dos frutos da erva-mate. Abaixo, você confere alguns destes animais que foram flagrados se alimentado desta árvore, para depois, ao liberarem as sementes digeridas, dispersarem futuras árvores. As aves descritas aqui foram identificadas por Arnaldo Soares:

 
Elaenia mesoleuca, conhecido popularmente como Tuque, se alimentando de frutos durante o início do amadurecimento
Sabiá Laranjeira (Turdus rufiventris), interagindo com a erva-mate
 
Sabiá-ferreiro (Turdus subalaris), sempre presente nas Florestas com Araucárias
Tangara sayaca, popularmente Sanhaço Cinzento, também se alimenta dos frutos
 
Turdus amaurochalinus, conhecido por Sabiá Bico-de-osso, agente dispessor das semente de erva-mate
 
A Mariquita (Sertophaga pitiayumi) faz parte do ecossistema da Floresta com Araucárias
Guaracava-de-barriga-amarela (Elaenia flavogaster), também é uma das aves que se alimenta das sementes de erva-mate

Parasitas e pragas na erva-mate

Alguns insetos e aracnídeos também fazem parte do ecossistema onde a erva-mate está naturalmente inserida. Assim, espécies deste gênero, por vezes, se alimentam das folhas ou do sistema vascular desta planta, podendo representar riscos, quando em grande escala, à saúde da árvore. Por esta razão, recebem o nome de pragas. Abaixo, algumas imagens representam como estes animais se alimentam da planta e os resultados disto na aparência física da erva-mate:

 
A Lagarta-do-cartucho-de-seda (Hylesia sp), instala-se entre os galhos e folhas da erva-mate
Erva-mate atacada por ácaros
 
Lagarta-da-erva-mate (Thelosia camina), deixa seu rastro nas folhas da erva-mate, que ficam mordidas
Ampola de erva-mate (Gyropsya spegazziniana), faz com que as folhas da planta enfraqueçam

Podas de erva-mate e sistemas tradicionais

O ser humano, quando quer se alimentar das folhas da erva-mate, realiza podas, que ocorrem em momentos específicos do ano. Geralmente, dentro de três anos, com o rebrotamento dos galhos com folhas, a erva-mate está pronta para receber outra poda. Abaixo, seguem dois exemplos de estilos tradicionais de poda e de cultivo da erva-mate:

 
O sistema de poda cabide deixa a árvore sem nenhuma folha. Esta fotografia foi feita no município de São Mateus do Sul/PR
 
Sistema tradicional de erva-mate sombreada com indivíduos em ser e adensamento

Para fazer referência a esta página, por favor cite: CEDERVA. Fatos em imagens sobre a erva-mate. Curitiba, 2017. Disponível em: http://www.cederva.com/curiosidades.html